Fibrose pós-lipoaspiração: é possível prevenir o problema?

Essa complicação coloca em risco os resultados estéticos da cirurgia plástica. Veja como você pode evitar a fibrose pós-lipoaspiração!


O que é a fibrose?

A fibrose pós-lipoaspiração é uma cicatriz interna que se forma nos locais de intervenção das cânulas. Contudo, quando ela se manifesta em pequena quantidade ou em tamanho mínimo, o resultado estético do procedimento não é comprometido.

Por outro lado, há situações em que o tecido conjuntivo fibroso se desenvolve excessivamente durante a cicatrização. Assim, a área trabalhada assume uma aparência irregular e endurecida. Não apenas o aspecto se torna um problema, como também a dor que pode surgir junto à manifestação de nódulos.

Tal cenário acontece devido às lesões celulares. Ou seja, o movimento invasivo das cânulas leva a reações inflamatórias e hematomas.

Como evitar a fibrose pós-lipoaspiração?

Sem dúvida, os cuidados recomendados pelos médicos são indispensáveis para evitar o problema. Por exemplo, são alguns fatores básicos de prevenção: obedecer ao período de repouso estipulado; não pegar peso; e utilizar a cinta cirúrgica.

Além disso, a drenagem linfática é recomendada a muitos pacientes. Afinal, ela contribui para a eliminação de líquidos e toxinas, reduzindo o inchaço e a retenção dessas substâncias.

No entanto, há pessoas que seguem tais recomendações e, ainda assim, são afetadas pela fibrose pós-lipoaspiração. Isso ocorre, porque, as técnicas usuais são mais invasivas. Nesse sentido, o organismo reage com manifestação de dor, inchaço e equimoses.

Consequentemente, proteínas se acumulam na região lipoaspirada. A situação contribui para a produção de colágeno em níveis acima do esperado. Por isso, a formação da fibrose não demora a dar sinais. Inclusive, há pacientes que percebem os sintomas 24 horas após o procedimento.


Abdômen com sinais de fibrose pós-lipoaspiração
Exemplo de fibrose pós-lipoaspiração

Quando procurar ajuda médica?

Com toda a certeza, quanto antes o(a) paciente comunica os sintomas de fibrose pós-lipoaspiração, mais eficaz será o tratamento. Irregularidades na pele associadas ao endurecimento, bem como dor e sensação de repuxamento, são sinais de problema. Ademais, a fibrose provoca nodulações e pode limitar os movimentos da área que sofreu intervenção.


Tecnologia One S.T.E.P.® revoluciona lipoaspiração

Diversas técnicas de lipoaspiração são agressivas. Isso significa que, ao intervir em várias camadas da pele, mais células são danificadas. Como resultado, os pacientes enfrentam um pós-operatório doloroso e demorado. Nessas situações, a probabilidade de haver fibrose aumenta.

Todavia, há novas tecnologias no mercado com o intuito de aprimorar a intervenção. Entre elas, está a One S.T.E.P.®. Seu equipamento age somente no tecido adiposo. Através de um comprimento de onda específico, não há destruição de células e outros tecidos importantes.

Dessa maneira, traumas ou queimaduras são evitados. Assim, é possível reduzir significativamente a formação de fibrose pós-lipoaspiração.

Só para ilustrar, a qualidade do material coletado com a técnica é pertinente até mesmo para a Medicina Regenerativa, evidenciando a menor agressão da intervenção.


Conclusão

A lipoaspiração com técnicas pouco inovadoras aumentam a probabilidade de formação de fibrose. E, ainda que os pacientes sigam as orientações médicas cuidadosamente, a complicação pode se manifestar nos primeiros 10 dias de pós-operatório. Também é relevante considerar que fatores genéticos colaboram para o quadro.

Os candidatos à lipoaspiração podem se beneficiar de técnicas mais modernas, como a One S.T.E.P.®, visando reduzir consideravelmente o risco de fibrose. Ela possibilita uma recuperação com menos dor e mais rápida quando comparada a outras soluções do mercado.

Quer saber como prevenir a fibrose pós-lipoaspiração? Conheça melhor a tecnologia One S.T.E.P.®!